secretaria municipal de cultura e turismo



Igreja Matriz de Nossa Senhora de Nazaré.

Cachoeira do Campo

Cachoeira do Campo é um distrito muito visitado, principalmente por estar no caminho direto entre a capital Belo Horizonte e a histórica Ouro Preto. Às margens da BR 356 podem ser vistas muitas lojas de artesanato regional, além da Praça do Artesão, próxima à rodoviária, que conta com produtos diversos, tanto em móveis de madeira de demolição, quanto bordados, culinária típica e variados objetos de decoração. Para aqueles que passarem pelo local, vale muito a pena um retorno para entrarem no centro histórico do distrito, que possui belas igrejas, capelas e o casario dos séculos XVII e XVIII.

O distrito de Cachoeira do Campo surgiu ainda no século XVII, entre os anos de 1674 a 1675, quando a bandeira de Fernão Dias Paes, em busca de riquezas nas montanhas de Minas, provavelmente descobriu a cascata de águas límpidas, próximo ao atual Centro Dom Bosco, que daria origem ao histórico nome do povoado da “Cachoeira”, passando mais tarde a ser chamado de Cachoeira do Campo. No ano de 1680, o aventureiro Manuel de Mello teria se estabelecido em Cachoeira, tornando-se o primeiro morador.

Em sua Monografia Histórica, Pe.Afonso de Lemos afirma que o povoado teve início nos anos de 1700 e 1701, em razão de uma grande fome que acometeu a região, forçando a procura de espaços propícios para o plantio. Pela fertilidade do solo e amenidade do clima, Cachoeira tornou-se então um dos centros regionais de produção agrícola.

O distrito de Cachoeira do Campo está localizado a 22 km de Ouro Preto. Foi no distrito que se desencadeou um dos episódios mais sangrentos e decisivos do conflito envolvendo os direitos de exploração de ouro na futura Capitania de Minas Gerais, conhecido como Guerra dos Emboabas, conflito entre paulistas e portugueses, entre 1708 e 1709. Após essa guerra, foi na Matriz de Nossa Senhora de Nazaré que foi consagrado o primeiro governador eleito pelo povo da história das Américas, Manuel Nunes Viana, que liderava os vencedores Emboabas.

Sabe-se que os portugueses trouxeram a devoção por Nossa Senhora de Nazaré, sendo assim, a construção da Matriz, um dos maiores atrativos arquitetônicos do local, data da primeira metade do século XVIII, sendo um dos mais antigos templos de Minas. Em frente à porta principal, destaca-se o cruzeiro de pedra, símbolo da devoção cristã.

População: 8923

Galeria

Capela de São Francisco de Paula - Cachoeira do Campo


Interior da Igreja Matriz de Nossa Senhora de Nazaré


Fachada da Igreja de Nossa Senhora de Nazaré


Igreja Matriz de Nossa Senhora de Nazaré e Cruzeiro


Igreja de Nossa Senhora de Nazaré


Igreja Matriz de Nossa Senhora de Nazaré.

Atrativos

Igreja de Nossa Senhora das Dores


Igreja Matriz de Nossa Senhora de Nazaré


Capela de Nossa Senhora do Bom Despacho - Distrito Cachoeira do Campo


Igreja de Nossa Senhora das Mercês


Capela de São Francisco de Paula - Distrito Cachoeira do Campo


Chafariz do Padre Afonso de Lemos


Banda civil Banda Euterpe Cachoeirense


Banda civil Sociedade Musical União Social


Escola de Samba União Recreativa Cachoeira do Campo

Hospedagem

Hotel Fazenda Retiro das Rosas


Pousada e Restaurante Chão de Minas


Pousada Chão de Minas Ouro Preto


Pousada Fuego


Hotel Bandeirantes

Gastronomia

Restaurante e Lanchonete Vivenda


Padaria Dolci Pani


Bandeirantes Grill


La Capella- Pizza pub


Restaurante Chão de Minas


Restaurante Lanchonete Painha


Café Imperial


Merlo Grill


Supermercado Farid - Cachoeira do Campo


Restaurante Colher de Pau


Mini Mercado Acacio


Cachaçarias Nobres


Chapa Quente Hamburgueria


Ladeira abaixo espetos


Restaurante Inconfidentes


Queijo inconfidentes


Padaria Casa Verde


Sorveteria Fassana


Cervejaria Ouropretana


Restaurante Dona Eva

Como Chegar
Referências

Texto: Greiza R. Tavares Rodrigues Ferreira - Jornalista - Agente Administrativo - Secretaria Municipal de Turismo, Indústria e Comércio - Prefeitura de Ouro Preto - MG.

Referências: COSTA, Joaquim Ribeiro.Toponímia de Minas Gerais.Ed. Imprensa Oficial do Estado de Minas Gerais, Belo Horizonte 1970.

MARTINS, Antonio de Assis e OLIVEIRA, José Marques.Almanak administrativo, civil e industrial da província de Minas Gerais.Typographia do Minas Geraes, Ouro Preto, 1864.

VASCONCELLOS, Diogo de. História Média de Minas Gerais. 4ª Edição. Belo Horizonte: Itatiaia, 1974.

Conferido por Vilma do Nascimento, em 19/01/2023. Ok.