Temporada de Concertos na Casa da Ópera


Ouro Preto recebe espetáculos de grandes nomes da música erudita

Ouvir conteúdo
Por Gilson Martins.em 27/05/2019

Imagem: Bendita Comunicação

Dia 6 de junho, quinta-feira, estreia o projeto Concertos na Casa da Ópera. Durante cinco meses, a cidade de Ouro Preto (MG) receberá artistas renomados da música erudita para únicas apresentações, uma por mês, todas com acesso livre e entrada franca.

Palco desta temporada, a Casa da Ópera de Ouro Preto é considerada o teatro mais antigo em atividade do Brasil, inaugurado em 1770. Adentrar seus aposentos, carregados de histórias, para apreciar música erudita é uma rica viagem ao tempo passado. Sem nenhuma intervenção de equipamentos eletrônicos, a vivência se intensifica de forma mais pura e completa, tornando-se uma experiência quase única nos dias atuais.

Abrindo o projeto, o Duo de canto e piano formado por Sylvia Klein e Wagner Sander traz boa parte de seu diverso repertório. Com capacidade ímpar e técnica apurada a serviço da expressividade o Duo transita com fluência por variados estilos musicais, sempre observando e se atendo de forma criteriosa ao estilo vigente de cada repertório com o intuito de imprimir nestes suas peculiaridades artísticas e ao mesmo tempo respeitar as características de cada compositora(or). Juntos há 25 anos, alguns de seus concertos temáticos pelo Brasil e exterior são: Àrias-concerto lírico para voz e piano, com direção de Tizuka Yamasaki, para a ocasião da reabertura da Casa de Ópera de Ouro Preto que aconteceu durante a primeira reunião do Mercosul; o So In Love onde apresentaram canções de amor começando por Haendel e Mozart e finalizando com Madonna e Cole Porter; En Morceaux com um repertório de Canções Francesas do Pós Guerra; a Canção Brasileira apresentando a música erudita brasileira; o Laudate Dominum com o repertório de música sacra e a última produção, o concerto cênico Canção do Submundo, com canções do Cabaret Alemão com música de Kurt Weill e Bertold Brecht.

A estreia do projeto Concertos na Casa da Ópera se dá na noite de aniversário da Casa de Ópera de Ouro Preto, que neste dia 6 de junho completa 249 anos. Para a ocasião, Sylvia Klein e Wagner Sander optaram por uma seleção totalmente brasileira, dividindo o recital em duas partes. Na primeira serão apresentadas clássicos da música erudita brasileira, começando com Alberto Nepomuceno, compositor que estudou na Europa no século XIX e que deixa nítida na sua obra a influência do velho continente. Ouviremos também canções de nomes como Villa-Lobos, Cláudio Santoro, até chegarmos em Ronaldo Miranda, prestigiado compositor ainda atuante no cenário nacional. Na segunda parte assistiremos a uma breve, mas diversa jornada por canções com temáticas variadas, como lendas amazônicas, de sincretismo religioso e músicas populares com arranjos dedicados ao Duo. Nessa parte estarão presentes compositoras(res) como Babi de Oliveira, Waldemar Henrique, Marlos Nobre, Herivelto Martins, dentre outros.

A temporada de Concertos na Casa da Ópera é uma realização do grupo UN Music em parceria com a Holofote Cultural a partir de recursos da Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais. Conta com o patrocínio da Oi e com apoio cultural da Prefeitura Municipal de Ouro Preto e da Casa de Ópera de Ouro Preto.

Sobre Sylvia Klein

Sylvia Klein interpretou a criada Serpina, no primeiro filme de ópera brasileiro, La Serna Padrona de Pergolesi, dirigido por Carla Camurati, recebendo o prêmio HBO de cinema. Cantou nos teatros Palácio Das Artes em Belo Horizonte, Teatro da Paz em Belém do Pará, Teatro Nacional Cláudio Santoro em Brasília, Teatro Municipal do Rio de Janeiro e Teatro Municipal de São Paulo sob a regência dos maestros: Isaac Karabtchevsky, Júlio Medaglia, Roberto Duarte, Sílvio Viegas, Sérgio Magnani, entre outros. As óperas em seu repertório são: A Viúva Alegre de Franz Lehar, La Bohème de Puccini, D. Giovanni , As Bodas de Fígaro e a Flauta Mágica de Mozart, Carmen de Bizet, Lo Schiavo de Carlos Gomes, La Serva Padrona de Giovanni Batista Pergolesi, The Man Who Mistook His Wife For a Hat de Michael Nyman, Il Cappello di Paglia di Firenze de Nino Rota, La Traviata de Verdi e o Barbeiro De Sevilha de Rossini, Cavalleria Rusticana de Pietro Mascagni e La Serva e L'ussero de L. Ricci. Trabalhou com grandes diretores como: Bibi Ferreira e Carla Camurati. Em seu repertório Sinfônico destacam-se suas participações no Réquiem de Brahms, Stabat Mater de Rossini, Nona Sinfonia de Beethoven, Requiem e Missa da Coroação de Mozart, As Estações de Haydn, A Floresta do Amazonas de Villa Lobos, Magnificat de Bach e Carmina Burana de Carl Orff. Sua última participação foi na Missa Criolla de Ramirez aqui em Berlin, onde também realiza concertos divulgando a música clássica brasileira. Tem dois Cds gravados: o Samba de Casaca, onde cantou grandes clássicos do samba rearranjados para piano e voz e o CD gravado ao vivo no teatro Palácio Das Artes, Balada para un Loco com o Quinteto Tempos onde cantou Villa Lobos e Piazzolla. Sylvia Klein criou também o grupo vocal Caffeine Trio onde cantam arranjos de canções consagradas de diversas partes do mundo em close harmony, focando no repertório brasileiro.

 

Sobre Wagner Sander

Natural de Téofilo Otoni, iniciou seus estudos de piano no ano de 1983 no Conservatório Brasileiro de Música com a professora Maria Aparecida Pereira Pimenta. Em 1989 mudou-se para Belo Horizonte e ingressou na Faculdade de Música da UFMG – onde estudou Piano com os professores Miguel Rosselini e Luís Senise, Análise com Eduardo Bértola, Música de Câmera  com Sérgio Magnani e Práticas de Correpetição com o grupo Ópera Studium dirigido pelo professor Amin Feres - e desde então vem desenvolvendo intenso trabalho tanto como camerista quanto correpetidor. Conclui a Graduação em piano em 1994 e o Mestrado em Performance Musical em 2013. Possui grande experiência como músico de orquestra, já tendo atuado em grupos como:  Orquestra Filarmônica Nova, Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, Orquestra da Escola de Música da UFMG, Orquestra Ouro Preto e Orquestra Filarmônica de Minas Gerais. Participou de diversos concursos nacionais, dentre os quais obteve o primeiro lugar no Sexto Concurso Nacional de Piano Arte Livre em São Paulo e o primeiro lugar no Concurso Para Pianista Correpetidor da UFMG. Este último, realizado em 1994, lhe valeu o cargo de Músico Técnico desta instituição. Ainda como aluno começou a se dedicar à música de câmera e correpetição, áreas que se tornariam duas das suas principais como profissional. Como correpetidor seu primeiro trabalho de relevância foi na ópera e no filme La Serva Padrona, os quais foram dirigidos por Carla Camurati e regidos pelo maestro Sérgio Magnani. Na Escola de Música da UFMG desde 1994, inicialmente atuou em todas as áreas da correpetição e aos poucos se especializou no repertório de sopros com forte ênfase em Metais. Trabalhou como pianista junto ao Côro Lírico da Fundação Clovis Salgado entre os anos de 1999 a 2014 e nesta instituição atuou em mais de vinte óperas.

 

SERVIÇO

Concertos na Casa da Ópera - junho a outubro/2019

Estreia: 06 de junho de 2019 (quinta-feira)

Atração: Sylvia Klein & Wagner Sander - Duo de canto e piano

Horário: 20h30

Local: Casa da Ópera de Ouro Preto (R. Brg. Musqueira, 104, Ouro Preto - MG)

Entrada franca

Classificação livre

 

Programação completa:

06/06 | Sylvia Klein & Wagner Sander

26/07 | Lumia com Henrique Roscoe e Joana Boechat

31/08 | Quarteto Guingnard

28/09 | 3 Brasis com Chico Lobo, Márcio Malard e Paulo Sérgio Santos

26/10 | Vitor Araujo

 

Alerta Meteorológico

Estado de atenção
 
  
 
 
saiba mais

Receba notícias da Prefeitura

×