Jornada do Patrimônio Cultural marca presença em Ouro Preto e distritos através de ações da Prefeitura


Em agosto ocorreram duas ações da Prefeitura Municipal de Ouro Preto que foram inscritas no Programa do Governo do Estado.

Ouvir conteúdo
Por Gilson Martins.em 03/09/2019

Texto: Túlio Gariglio

A Jornada do Patrimônio Cultural de Minas Gerais foi criada em 2009 e tem o foco na promoção e divulgação do patrimônio cultural do estado, promovendo a participação dos municípios mineiros através de projetos que busquem valorizar sua cultura local. O programa é promovido pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (IEPHA).

O tema da Jornada este ano é Patrimônio e Culinária, e duas ações da Prefeitura Municipal de Ouro Preto que foram inscritas e devidamente aprovadas ocorreram em agosto. A primeira ação foi a exposição “Doces e tradições, o imaterial em São Bartolomeu”, que ocorreu no último final de semana, durante a festa do Divino Espírito Santo no Distrito. O objetivo da exposição foi chamar a atenção para a tradicional produção de doces do distrito de São Bartolomeu, que foi o primeiro bem cultural registrado como Patrimônio Imaterial no município de Ouro Preto, em 2008.

A segunda ação foi o programa “Ouro Preto, o meu lugar”, que se trata de um programa interinstitucional desenvolvido em Ouro Preto e seus distritos, com foco em seus patrimônios culturais materiais e imateriais, envolvendo professores, alunos e comunidade em contexto intra e extraescolar. O programa vem sendo aplicado desde 2018 em três escolas: Escola Municipal Professora Haydee Antunes, em Cachoeira do Campo, a  Escola Municipal Monsenhor João Castilho Barbosa, em Ouro Preto, e a Escola Municipal Doutor Pedrosa, em Santo Antônio do Leite.

Este ano, a atividade intitulada “Mais que doce. O imaterial em São Bartolomeu” é uma exposição para os alunos sobre o patrimônio imaterial e material de Ouro preto, abrangendo  o que é cultura, os bens registrados do município e com foco na produção de doces de São Bartolomeu. A exposição ocorreu no dia 27 de agosto em Cachoeira do Campo, no dia 28 de agosto em Ouro Preto e no dia 30 de agosto em Santo Antônio do Leite. 

Pedro Augusto Rodrigues é assessor da Secretaria Municipal de Cultura e Patrimônio de Ouro Preto e palestrante sobre patrimônio imaterial no programa “Ouro Preto, o meu lugar”. Trabalhando há quase três anos diretamente com os bens registrados no departamento de Patrimônio Imaterial, ele destaca a importância do programa: “Pra mim, fazer essas palestras traz uma satisfação enorme, pois a gente está falando do cotidiano dos alunos, das manifestações culturais que eles e suas famílias participam, alguns até há gerações e isso a gente vê que desperta o interesse dos alunos, faz com que eles interajam durante a palestra, perguntem ou até questionem informações, algo que eu acredito que é crucial para despertar um senso crítico , principalmente nas turmas mais novas”.

O secretário municipal de cultura e patrimônio, Zaqueu Astoni Moreira, também manifestou sua satisfação com o projeto: “Registro o agradecimento do município ao empenho dos servidores na execução do programa de educação patrimonial de Ouro Preto, programa esse de grande importância para a formação educacional dos nossos jovens. Destaco também que o referido programa se tornou referência na região dos Inconfidentes, graças ao excelente resultado alcançado”.

Implementado pela Prefeitura de Ouro Preto, por meio das Secretarias Municipais de Educação, de Cultura e Patrimônio, de Turismo, Indústria e Comércio, e da Pró-reitoria de extensão da UFOP, o programa conta também com a parceria de museus e da Universidade Federal de Ouro Preto, UFOP, trabalhando com professores e alunos para desenvolver suas atividades. 

Alerta Meteorológico

Estado de observação
  
 
 
 
saiba mais

Receba notícias da Prefeitura

×