Prefeitura segue dando continuidade ao projeto do Parque Tecnológico em Ouro Preto


Representantes de quatro Startups com interesse no uso do espaço do futuro Parque como local de trabalho se reuniram com a Prefeitura na segunda-feira (26/08).

Ouvir conteúdo
Por Gilson Martins.em 28/08/2019

Imagem: Ane Souz / PMOP

Texto: Túlio Gariglio

Na tarde de segunda-feira (26), a Prefeitura de Ouro Preto recebeu representantes de quatro Startups da área de mineração (Miningtechs) e também representantes da Samarco. As quatro Startups são a Ecomud, Element, GMTech e Reuse, que foram selecionadas pelo projeto Minerall, iniciativa da aceleradora de Startups Neo Venture e da Samarco, com foco no aproveitamento dos rejeitos da mineração. As empresas tem interesse em usar como sede o espaço do Centro de Eventos, localizado no prédio da antiga Fábrica de Tecidos, que será convertido em um Parque Tecnológico e Centro de Eventos, denominado Inconf.Tech.

O uso do espaço como Parque Tecnológio e Centro de Eventos busca aumentar o empreendedorismo tecnológico e a geração de empregos, incentivar a pesquisa e o crescimento econômico do município, além de atrair eventos para a região. Para Felipe Guerra, secretário de Turismo, Indústria e Comércio da Prefeitura de Ouro Preto, é muito importante Ouro Preto diversificar a sua economia, não apenas com o turismo, mas também com um polo tecnológico regional. "Fazer com que o Centro de Eventos seja fomentador de geração de emprego e renda, tanto com os eventos, quanto com o parque tecnológico. Ouro Preto tem todos os atributos para ser um grande indutor de tecnologia da região, pois temos a UFOP e o IFMG, com as empresas mineradores que nos cercam", explica.

Segundo o Gerente do Setor de Tecnologia da Informação da prefeitura, Rafael Gomes, o que atraiu a atenção das startups foi a organização para recebê-las, "com a criação da lei de incentivo para empresas de base tecnológica se instalarem na cidade, além do grupo de trabalho e as parcerias com as entidades para consolidação do parque tecnológico. Além das startups poderem ter sede no parque tecnológico, é importante também que se consiga a instalação das plantas destas empresas no polo industrial em Antônio Pereira, o que promoverá a geração de empregos naquela região".

Para Alessandra Prata, Engenheira Especialista de Mineração na Samarco, o local é o ideal para novos investimentos: "Nós estamos conhecendo aqui em primeira mão. A ideia do parque é muito interessante, por que é um espaço que consegue trazer uma série de negócios de base tecnológica, empresas Startups e que vem trazer condições diferentes para o município". Alessandra ainda exaltou as qualidades estruturais do novo espaço: "o que a gente viu é que tem infraestrutura, área, disponibilidade de espaço, seja para montar um escritório ou aproveitar a presença de distritos industriais na região, para que possam ser atraídas indústrias ou pequenas fábricas".

Gabriel Saleh é ex-aluno da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), formado em Administração e participou da visita representando a Startup Element, que tem como foco o trabalho de reaproveitamento de insumo (rejeito) de ferro ligas. Ele também exalta as qualidades do espaço para o trabalho: "A gente percebe um ecossistema muito bem desenhado no parque tecnológico para trazer empresas de Startup, não só do espaço físico em si, mas em tudo que está sendo feito pela Prefeitura em questão de legislação".

Durante a visita os representantes das Startups e da Samarco tiveram a oportunidade de conhecer pessoalmente o espaço que irá abrigar o novo Parque Tecnológico, além de conhecer alguns laboratórios da Escola de Minas, no campus Morro do Cruzeiro.

Em maio deste ano, por meio do decreto de N° 5.385, foi constituído um Grupo de Trabalho formado por representantes da Prefeitura, UFOP, Câmara Municipal de Ouro Preto, Instituto Federal de Minas Gerais (IFMG) e Agência de Desenvolvimento Econômico e Social de Ouro Preto (ADOP), cuja função é coordenar e supervisionar os trabalhos de implantação do Parque. Recentemente a Prefeitura de Ouro Preto e a Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) assinaram um Protocolo de Intenção para a criação do Parque.

A área que abrigará o novo Parque Tecnológico tem 19.000 m2, com 3.444 m2 em área construída e 12.000 m2 para estacionamento e/ou grandes eventos, além de outras áreas de convivência. O novo projeto busca novos caminhos para o empreendedorismo em Ouro Preto, utilizando o promissor espaço da antiga fábrica de tecidos, que antes estava abandonado.

Álbum de fotos

Alerta Meteorológico

Estado de observação
  
 
 
 
saiba mais

Receba notícias da Prefeitura

×