Capsij Ouro Preto conduz roda de conversa em Conferência Nacional de Saúde em Brasília

Ouvir conteúdo
Por VICTOR STUTZ.em 13/08/2019

Imagem: Capsij

O Centro de Atenção Psicossocial da Infância e Juventude, Capsij  Ouro Preto, marcou presença na 16ª Conferência Nacional de Saúde instaurando uma roda de conversa para troca de saberes, propostas e experiências, uma atividade autogestionada realizada simultaneamente à programação oficial.

O debate foi proposto e conduzido pela coordenadora do Capsij  Ouro Preto, Christine Vianna, e pelo médico psiquiatra Ricardo Moebus. As atividades autogestionadas que integraram a programação paralela da 16ª Conferência Nacional de Saúde foram previamente selecionadas pelos organizadores considerando as diversidades regionais e populacionais, gênero, identidade de gênero, diversidade sexual, representatividade rural e urbana, participação de entidades ou movimentos de jovens e idosos, pessoas com deficiência e com necessidades especiais, e outros critérios.

De acordo com Christine Vianna, a roda de conversa foi bem produtiva, e contou com a participação de profissionais de diferentes aéreas de formação e atuação, provenientes de diferentes regiões do país. No intuito de “dar continuidade à discussão sobre saúde mental infanto juvenil, com trocas presenciais, estamos caminhando para um encontro nacional autogestionado em 2020”, explica a coordenadora.

Com o tema central “Democracia e Saúde”, a 16ª Conferência Nacional de Saúde aconteceu no Parque de Exposições de Brasília, DF, de 4 a 7 de agosto, organizada pelo Conselho Nacional de Saúde (CNS) e realizada pelo Ministério da Saúde, com o objetivo de defender os princípios básicos do Sistema Único de Saúde (SUS) e a saúde pública como direito de todos. Os eixos temáticos da conferência foram: Saúde como Direito, Consolidação dos Princípios do SUS e Financiamento do SUS.

A etapa nacional ocorreu após a realização de cerca de três mil conferências municipais e a mobilização de todos os estados brasileiros e do Distrito Federal para discutirem e consolidarem propostas relacionadas à saúde. Também aconteceram mais de cem conferências livres, organizadas de modo independente por entidades e movimentos sociais, que abordaram temáticas relacionadas à saúde da população LGBTI+, de quilombolas, da população negra, de segmentos de juventudes, de atingidos pela hanseníase, de povos e comunidades de terreiros, dentre outros.

O relatório final da 16ª Conferência deve resultar na elaboração do Plano Plurianual 2020-2023 e do Plano Nacional de Saúde.

Alerta Meteorológico

Estado de observação
  
 
 
 
saiba mais

Receba notícias da Prefeitura

×